CNC recebe bancada do MDB no Congresso

Compartilhe
15 A 16 mai 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
José Roberto Tadros, recepcionou hoje (14/05) a bancada do MDB no Congresso Nacional
José Roberto Tadros, recepcionou hoje (14/05) a bancada do MDB no Congresso Nacional
Crédito
Paulo Negreiros

O presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, recepcionou hoje (14/05) a bancada do MDB no Congresso Nacional. Durante almoço na sede da entidade, em Brasília, Tadros falou sobre ações das instituições do segmento em prol do Brasil e colocou à disposição dos parlamentares o trabalho e as iniciativas da CNC, do Sesc e do Senac.

Ao longo dos anos, disse, as instituições do Sistema S trabalharam sempre pela democracia e “para ajudar o governo no resgate da imensa dívida social que se acumulou ao longo do tempo. Nós precisamos ter uma economia saudável, em que o trabalhador seja bem remunerado e as empresas gerem, sim, muito lucro para distribuir”. 

O presidente da CNC criticou o fato de o empresário “sempre ser visto como uma pessoa egoísta”, que só pensa na sua empresa, no lucro e em interesses pessoais. “Isso não é verdade. E a prova é o sistema confederativo do comércio, que tem seus braços sociais Sesc e Senac voltados para o desenvolvimento, todos bem fiscalizados pelo poder público, por meio do Tribunal de Contas da União (TCU), com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU).” 

Tadros destacou ainda que CNC-Sesc-Senac não é o Sistema S, da mesma forma como não o são a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA). “São entidades privadas que, isso sim, gerem o Sistema S, mas com receitas e investimentos próprios e que têm sua atuação e investimentos muito bem fiscalizados.”

Em seu discurso de boas-vindas ao parlamentares, José Roberto Tadros lembrou que foi o primeiro amazonense a ser eleito presidente da Confederação, “um fato muito raro em se tratando de empreendedores daquela região do País”. “Sou, como eles, gente que teima em ser brasileiro, que nos permite dizer que somos uma nação homogênea, que pensa e idealiza um Brasil vencedor.”

Para o Brasil dar certo e ser um grande país, na avaliação do dirigente, “só falta nós acertarmos nossas premissas econômicas, nosso credo capitalista, em que o lucro não pode ser pecado, por ser a grande alavancagem para o desenvolvimento”. 

“E os congressistas são as pessoas mais importantes para se estruturar uma democracia estável e definitiva. O mundo só anda por meio da democracia, onde as pessoas possam se expressar livremente, desde que com responsabilidade e educação”, concluiu.

Responsabilidade

O líder do MDB na Câmara, deputado Baleia Rossi, afirmou que o encontro na CNC teve um objetivo maior: pensar o Brasil e mostrar que o partido tem responsabilidade com o futuro da nação. “Nós temos uma pauta de trabalho pesada, mas vital para o Brasil, e a Confederação do Comércio e outras entidades do Sistema S vão poder estar presente e ajudar no debate do que é importante para o desenvolvimento”, enfatizou.

Em seu rápido pronunciamento, ele citou as reformas tributária e da Previdência, que considera agendas prioritárias nos próximos meses. “O MDB tem a responsabilidade de, mesmo avaliando que certas propostas não são pauta eleitoralmente favoráveis, entender que são importantes para que o Brasil avance e gere mais emprego e renda.”

Espírito de nacionalidade

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga, cumprimentou o presidente José Roberto Tadros por seu trabalho em favor do comércio, “que o levou agora à Presidência da CNC, uma alegria para todos os amazonenses e nortistas, porque traz um espírito de nacionalidade à Confederação, pois é importante termos vozes representando todas as regiões”.

Para o senador, o trabalho realizado pela entidade será aprimorado durante a gestão de Tadros, trazendo cada vez mais iniciativas em benefício dos comerciários, dos comerciantes e dos empresários em geral, cumprindo a função primordial da CNC, que é atender os segmentos a ela ligados.

Política

Compartilhe

Sistema CNC

Compartilhe