Fecomércio defende suspensão do aumento da tarifa de energia em Rondônia

AddToAny buttons

Compartilhe
10 A 11 jul 19
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Para Raniery, o empresário já carrega um vasto peso de impostos e não pode assumir o impacto do aumento da tarifa
Para Raniery, o empresário já carrega um vasto peso de impostos e não pode assumir o impacto do aumento da tarifa
Crédito
Suelen Viana - Fecomércio-RO

Rondônia foi um dos estados brasileiros que sofreram com o reajuste tarifário anual, concedido, no fim do ano, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nas residências e comércios do Estado, a conta de luz ficou mais cara, com correção de 27%.
 
Por isso, no dia 5 de julho, durante audiência pública federal, na Assembleia Legislativa do Estado, para tratar do tema, o presidente da Fecomércio-RO e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Raniery Araujo Coelho, defendeu a suspensão da tarifa, enfatizando que “o empresário já carrega um vasto peso de impostos e não pode assumir, cada vez mais, o impacto proveniente do aumento da tarifa”.
 
A Fecomércio-RO representou 12 sindicatos filiados. “Vivemos um momento muito difícil, com a diminuição da atividade econômica, bem como um elevado peso da carga tributária. E este aumento da energia impacta toda a cadeia produtiva, tendo principal reflexo na população, uma vez que o consumidor é quem arca com o ônus mais pesado, em especial os assalariados, que terão que pagar mais caro com esses aumentos”, explicou Raniery. 

O vice-presidente disse ainda que as empresas têm sensibilidade em relação aos seus custos e que esse aumento impacta toda a cadeia de produção, por isso deve ser visto de maneira diferente. 

“O empresário tem feito o maior esforço para vender mais barato, mas como conter os custos com a energia tendo um aumento destes? Eu sempre digo que ‘o Brasil tem jeito, porque o Brasil tem Norte’ e somos nós que estamos fazendo a diferença no País, somos nós que estamos crescendo com a agricultura familiar e com o agronegócio, somos nós que alimentamos o mundo. Então temos que ter sim uma visão diferenciada disso tudo e não permitir um aumento tão forte do custo de energia”, pontuou.

A audiência foi convocada pela deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), autora do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) nº 1.107/2018, que susta a resolução homologatória nº 2.496, de 13 de dezembro de 2018, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e que homologa o resultado do reajuste tarifário anual de 2018 das Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron).

O evento contou com a participação dos deputados federais Léo Moraes (Pode-RO) e Rafael Motta (PSB-RN), relator do projeto; do superintendente de Gestão Tarifária da Aneel, Davi Antunes; do diretor presidente da Ceron/Energisa, André Theobald; da procuradora do Ministério Público Federal, Gisele Bleggi; entre outras autoridades.