4 October, 2018

Empresariado Fluminense entrega propostas ao candidato Eduardo Paes

Crédito: Guarim de Lorena

Candidato Eduardo Paes fala para cerca de 400 empresários dos segmentos de turismo, moda e eventos

A cadeia produtiva dos segmentos de turismo, moda e eventos se reuniu com o candidato ao governo do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), no dia 2 de outubro, para apresentar propostas e abordar perspectivas para 2019. O evento “+Turismo +Moda + Eventos - Retomada do Crescimento” atraiu cerca de 400 empresários e contou também com os candidatos ao Senado, César Maia; a deputado Federal, Rodrigo Maia e a deputado Estadual, André Corrêa.

Na ocasião, entidades representativas do turismo fluminense entregaram a Eduardo Paes o documento “Rio + Turismo & Negócios”, que mostra a importância econômica do setor, compila as principais demandas e aponta caminhos para estimular a competitividade do destino Rio de Janeiro. A proposta fluminense teve como base o documento Turismo: +desenvolvimento +emprego +sustentabilidade, elaborado por 25 entidades e associações empresariais nacionais do turismo, reunidas no Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA) e do Cetur/CNC, Alexandre Sampaio, destacou no evento que o documento nacional foi entregue aos candidatos à Presidência da República e que o trade fluminense foi muito competente ao customizar às necessidades locais. “Entrego as sugestões reunidas pelo empresariado do turismo fluminense, reflexo de um debate realizado no trade nacional, que repercutiu em outros estados e, no Rio de Janeiro, incluiu também entidades laborais. A classe turística está unida e, junto aos segmentos de moda e eventos, temos um trabalho de recuperação a implementar no Estado”, afirmou.

O Presidente do Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio), Fernando Blower, destacou o quanto a questão da segurança impactou o segmento de bares, que já não conseguem abrir após certo horário, e pediu que projetos como o Segurança Presente, que tem o apoio do Sistema Fecomércio-RJ, tenham continuidade. “Somos 10 mil empresa só na cidade. Geramos 110 mil empregos diretos. Em 2017, geramos uma receita de 8,5 bilhões de reais. Não podemos deixar a gastronomia do Rio morrer, de jeito nenhum”, defendeu o presidente do SindRio.

Para o candidato Eduardo Paes, as intervenções do Governo Federal na segurança e nas finanças públicas permitiram que o Estado não ficasse em situação pior. "Quando nos foi dada a oportunidade de enfrentar desafios e de fazer coisas que pareciam impossíveis, a gente foi lá e fez, realizou e entregou. Foi assim tanto no campo da segurança pública, quanto no campo das finanças do estado, áreas em que o poder público tem um papel a cumprir, e nesse sentido, vocês podem ter a convicção de que a gente consegue encontrar caminhos e dar as soluções necessárias", afirmou Paes. O ex-prefeito falou ainda sobre a necessidade de não onerar ainda mais as empresas com aumentos de impostos. "Nossa carga tributária já é mais que antieconômica. Não me comprometo a reduzir carga tributária do Estado aleatoriamente, mas não sou contra incentivos fiscais”, disse.

O candidato à reeleição como deputado federal pelo Rio de Janeiro, Rodrigo Maia, que presidiu a Câmara dos Deputados por cerca de 2 anos, defendeu a necessidade de discutir as despesas públicas. Segundo ele, 94 % da renda do País está comprometida em despesas obrigatórias, e sobra apenas 6% para investimentos, impedindo obras essenciais para a retomada econômica, como as de infraestrutura. “Precisamos refundar esse Estado que é caro, ineficiente e burocrático”, afirmou Rodrigo Maia. Já o candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro, Cesar Maia, destacou a grande taxa de indecisão às vésperas das eleições que, segundo ele, está acima dos 70% para os cargos do parlamento, como deputados e senadores. Ele disse também que a participação de cada empresário presente no evento é essencial para alterar esse quadro. “Confiança é o produto mais importante que temos hoje para ganhar na economia e na política”, destacou.

Sobre o Documento do Turismo Fluminense

Dentre os pleitos fluminenses entregues estão o investimento em segurança pública; a redução de ICMS para o setor de eventos e congressos e para bares e restaurantes; o desenvolvimento de uma política de transporte rodoviário turístico Estadual; o fomento ao turismo de cruzeiros marítimos; o incentivo ao mercado de eventos MICE e a criação de uma Lei Estadual do Turismo em complementação à Lei Geral do Turismo, garantindo o exercício da atividade econômica e o cumprimento da legislação.

Assinam o documento as seguintes entidades: Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA); Associação Brasileira de Agências de Viagens RJ (ABAV-RJ); Associação Brasileira de Empresas de Eventos RJ (ABEOC-RJ); Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional (BITO); Associação Brasileira dos Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR); Associação de Hostels do Estado do RJ (RIOHOST); Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento (ANTTUR); Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais (ABOTTC); Cruise Line International Association (CLIA Brasil); Conselho Regional de Turismo da Costa do Sol (CONDETUR-RJ); Federação de Coventions & Visitors Bureaux do Estado do RJ (FC&VB) e Rio Convention & Visitors Bureau (RIO CVB); Fórum dos Secretários de Turismo do Estado do RJ (FEST-RJ); Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Rio de Janeiro; Sindicato Estadual de Guias de Turismo do RJ (SIDEGTUR) e Sindicato dos Trabalhadores e Profissionais de Turismo do RJ (SINTUR-RJ).

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.