22 August, 2018

Presidenciável João Amoedo recebe documento com propostas para o Turismo

Ao centro, João Amoedo recebe o documento com propostas para o Turismo

Crédito: In Press

Ao centro, João Amoedo recebe o documento com propostas para o Turismo

O candidato à Presidência da República João Amoedo (Partido Novo) foi o sétimo a receber o documento Turismo: +desenvolvimento +emprego +sustentabilidade, que contém propostas elaboradas por 25 entidades e associações empresariais do turismo, reunidas no Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A entrega foi realizada em 22 de agosto, no escritório do candidato, no bairro Itaim Bibi, em São Paulo. 

Estiveram presentes quatro membros do Cetur/CNC: Toni Sando, presidente da União Nacional dos Conventions Bureaus e Entidades de Destinos (Unedestinos); Alain Baldacci, presidente do Sistema Integrado de Parques Temáticos e Atrações Turísticas do Brasil (Sindepat); Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (CLIA Abremar); e Armando Arruda Pereira de Campos Mello, presidente da União Brasileira dos Promotores Feiras (Ubrafe). Durante o encontro, os empresários elencaram os principais gargalos para o turismo nacional atualmente, entre eles a infraestrutura, os altos custos com tributação, a falta de promoção do Brasil e a regulação do setor. 

O candidato João Amoedo afirmou que as propostas partiram de quem mais entende do setor, que são as entidades representativas. “É uma iniciativa louvável e fico feliz em receber essas sugestões. Já deu para ver que estão em linha com o que a gente acredita, que é incentivar o empreendedorismo, tirar essa burocracia excessiva e essa insegurança jurídica que o Estado acaba fazendo. Isso nos impede de gerar mais postos de trabalhos, riquezas e colocar o Brasil para crescer”, afirmou. Segundo o candidato, o principal é criar um ambiente propício para o desenvolvimento do setor. “O Brasil é um país especial para o turismo, tem riquezas naturais, um clima excepcional. O que falta é criar um ambiente propício para o turista vir para o Brasil. Isso passa por segurança, por infraestrutura. Cabe aos governos tirar essas amarras para que a gente possa investir. Cabe ao governo investir nesse processo de segurança jurídica, cabe ao governo agilizar eventos e a aprovação para vários projetos. E vale mencionar, o que é importante, nessa crise de desemprego do País, certamente a indústria do turismo é fundamental para a gente absorver mão de obra e colocar as pessoas no mercado formal", complementou Amoedo. 

Documento aponta cinco pilares de ação

O documento Turismo: + desenvolvimento + emprego + sustentabilidade aponta caminhos para alavancar a indústria do turismo como vetor da retomada do crescimento econômico e da geração de empregos por meio de cinco pilares de ação: infraestrutura, promoção, gestão e monitoramento, segurança jurídica e competitividade. 

Além de Amoedo, o documento já foi entregue aos candidatos Álvaro Dias (Podemos), Guilherme Boulos (PSOL), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL). “Reunimos em um texto com linguagem objetiva e prática as principais reivindicações do setor empresarial do turismo brasileiro. Ele está sendo entregue a todos os presidenciáveis porque queremos reafirmar a importância que o turismo pode ter no desenvolvimento do Brasil, colaborando efetivamente com a economia brasileira”, destaca Alexandre Sampaio, presidente do Cetur/CNC.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.